DICAS AG SAÚDE – Os riscos da automedicação

Tomar medicamentos por conta própria, ou por indicação de amigos, sem a prescrição médica, para problemas muitas vezes considerados simples – como dor de cabeça ou dores no corpo – é um hábito comum, mas que pode causar grandes danos à saúde e inclusive levar à morte. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso indevido de medicamentos é considerado hoje um problema de saúde pública, não só no Brasil, mas mundialmente. Tomar algum medicamento para tirar a dor sem que se investigue a causa é um perigo. A dor é um alarme do corpo para um problema. É preciso saber qual a causa. Simplesmente fazer uso de um medicamento por conta própria pode mascarar uma doença ou um problema mais grave.

Muitos medicamentos, como determinados tipos de analgésicos, antitérmicos e anti-inflamatórios ainda são vendidos nas farmácias sem a necessidade de apresentação da receita médica. E, para aqueles que buscam alívio rápido para um incômodo que consideram ser apenas momentâneo, a compra de medicamentos sem receita médica pode parecer o caminho mais fácil. Todavia, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o percentual de internações hospitalares provocadas por reações adversas a medicamentos ultrapassa os 10%.

Antibióticos

No final de 2010, a venda de antibióticos (usados no tratamento de infecções causadas por bactérias) sem prescrição médica foi proibida pela Anvisa. Entre os motivos, estava o aparecimento de bactérias super-resistentes. Mesmo após esta medida, muitas pessoas ainda acabam conseguindo um “jeitinho” de ter acesso a antibióticos sem passar pela avaliação de um médico, seja com familiares, vizinhos ou amigos que no momento fazem uso desses medicamentos.

Antibióticos são medicamentos de alto risco, uma vez que as bactérias são micro-organismos perigosos porque podem sofrer mutações. O indivíduo que utiliza indiscriminadamente antibióticos apresenta grande probabilidade de criar resistência ao medicamento. Além disso, muitos efeitos adversos são comuns em pacientes que fazem uso contínuo e inadequado desses medicamentos, como destruição da flora intestinal e aumento dos glóbulos brancos. Por isso, antes de fazer uso de qualquer medicamento, fique atento: procurar um médico e a orientação de um farmacêutico é fundamental para sua saúde.

Abaixo separamos algumas dicas para que se evite o uso indiscriminado de medicamentos e a intoxicação pelos mesmos.

– Só use medicamentos sob orientação médica e nas doses indicadas.

– Não use medicamentos no escuro para evitar a troca de embalagens ou erro de dosagem.

– Nunca dê medicamentos a crianças dizendo que se trata de “um doce”, “um suco”, “um refresco” ou “uma bala”.

– Guarde medicamentos em locais altos, de preferência com chaves, fora do alcance de crianças.

– Descarte adequadamente sobras de medicamentos e medicamentos vencidos.

– Não use medicamentos na presença de crianças em idade pré-escolar, pois os pequenos gostam de imitar os gestos e o comportamento dos adultos.

– Guarde o medicamento utilizado em seu lugar imediatamente após o uso.

– Não dê a crianças medicamentos indicados por vizinhos ou parentes, nem medicamentos prescritos para outra criança.

– Evite a pressa ao medicar uma criança. Ela pode tossir ou engasgar. Se houver vômitos ou derramamento, não dê doses extras sem antes consultar um médico.

– Ao comprar um medicamento, veja se confere exatamente com a receita do médico.

– Se você não entender a receita do médico, peça para ele reescrevê-la de forma legível.

– Mantenha longe do alcance de crianças, de preferência em local fechado, com altura mínima de 1,5m.

Em casos de duvidas acione a central de saúde do Alphaville (31) 3547-3005

HIPERTENSÃO ARTERIAL

Hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, é ter a pressão arterial, sistematicamente, igual ou maior que 14 por 9.

A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem, o que faz com que o coração tenha que exercer um esforço maior do que o normal para fazer circular o sangue através dos vasos sanguíneos.

A Hipertensão é muito comum, acomete uma em cada quatro pessoas adultas. Assim, estima-se que atinge em torno de, no mínimo, 25 % da população brasileira adulta, chegando a mais de 50% após os 60 anos e está presente em 5% das crianças e adolescentes no Brasil.

É responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal. As graves consequências da pressão alta podem ser evitadas, desde que os hipertensos conheçam sua condição e mantenham-se em tratamento com adequado controle da pressão.

COMO SE MEDE?

Ela é medida em milímetros de mercúrio.

Com esta medida, são determinadas duas pressões:

• Máxima: Quando o coração se contrai, temos uma pressão máxima (sistólica)
• Mínima: Quando ele se dilata, temos uma pressão mínima (diastólica)

QUAIS SÃO AS CAUSAS?

Na maioria das vezes não conseguimos saber com precisão a causa da hipertensão arterial, mas sabemos que muitos fatores podem ser responsáveis.

FATORES EXTERNOS:

• Hereditariedade: Recebemos a pré-disposição, que pode apresentar-se em vários membros da família.
• Idade: O envelhecimento aumenta o risco em ambos os sexos.
• Raça: Pessoas da raça negra são mais propensas a pressão alta.
• Peso: A obesidade é um fator de risco!

FATORES INTERNOS:

• Falta de exercício: A vida sedentária contribui para o excesso de peso.
• Má alimentação: pouco consumo de frutas e verduras e aumento do consumo de comida rápida
• Sal em excesso: pode facilitar e agravar a hipertensão arterial.
• Álcool: O consumo exagerado de compromete a pressão arterial.
• Tabagismo: é um fator de risco das doenças cardiovasculares
• Estresse: excesso de trabalho, angústia, preocupações e ansiedade podem ser responsáveis pela elevação da pressão.

A hipertensão arterial não tem cura mas deve ser tratada para impedir complicações.

A menos que haja uma necessidade evidente para uso de medicamentos imediato, como no caso de pacientes com níveis de pressão arterial acima de 180/110 mmHg, a maioria dos pacientes deve ter a oportunidade de reduzir sua pressão arterial através de tratamento não farmacológico, por meio de medidas gerais de reeducação, também conhecidas como modificações no estilo de vida.

Na maioria dos indivíduos a hipertensão arterial não causa sintomas, apesar da coincidência do surgimento de determinados sintomas que muitos, de maneira equivocada, consideram associados à doença, como por exemplo, dores de cabeça, sangramento pelo nariz, tontura, rubor facial e cansaço.

PREVENÇÃO:

• Meça sua pressão arterial regularmente;
• Adote alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes;
• Pratique atividades físicas;
• Mantenha o peso ideal, evite a obesidade;
• Não fume! Depois da hipertensão, o fumo é o principal fator de risco de doenças cardiovasculares;
• Siga as orientações do seu médico ou profissional da saúde;
• Tome as medicações conforme a orientação médica;
• Nunca pare o tratamento, é para a vida toda.post_hipertensao

MEDIDA DE PREVENÇÃO CONTRA ESCORPIÕES

Sabe-se que não existe veneno eficaz para o combate de escorpiões, por isso é necessário entender como previnir o seu lar para evitar visitas indesejadas destes animais peçonhentos.

Com o aumento das temperaturas no verão, as residências ficam mais vulneráveis a aparições de escorpiões, pois sua cadeia alimentar se baseia em insetos, que geralmente estão bem presentes nessa época do ano. Os escorpiões entram por frestas de portas e janelas, esgoto, e ralos e são atraídos por lugares que possuam tijolos, madeiras ou qualquer outro tipo de material que estejam empilhados por algum tempo, esses locais servem como esconderijo para o animal, fazendo com que áreas que estejam nessas condições sejam alvo potencial para a proliferação de escorpiões.

Algumas medidas são necessárias em áreas nessas condições, são elas:

– Manipule roupas e sapatos com cuidado.
– Elimine as baratas de sua residência, pois elas são a principal fonte de alimento dos escorpiões.
– Retire os materiais que estão empilhados em sua casa ou no quintal, de forma que o animal não encontre local para se esconder.
– Mantenha ralos e esgotos tampados, principalmente à noite.
– Feche as frestas das portas janelas e paredes evitando o acesso do escorpião a sua residência.

Em caso de dúvida, contate a Central de Zoonose da Prefeitura de Nova Lima: 31 3541-4427

Em caso de emergências acione a Central de Saúde do Alphaville: 31 3547-3005